terça-feira, 11 de novembro de 2008

O último andar

Bom-bom dia!

Vamos hoje mostrar um poema que líamos quando éramos mais jovens e marcou muito as épocas passadas: “O último andar”.

O último andar


No último andar é mais bonito:
do último andar se vê o mar.
É lá que eu quero morar.

O último andar é muito longe:
custa-se muito a chegar.
Mas é lá que eu quero morar.

Todo o céu fica a noite inteira
sobre o último andar
É lá que eu quero morar.

Quando faz lua no terraço
fica todo o luar.
É lá que eu quero morar.

Os passarinhos lá se escondem
para ninguém os maltratar:
no último andar.

De lá se avista o mundo inteiro:
tudo parece perto, no ar.
É lá que eu quero morar:
no último andar.


Talvez você more em uma cobertura; talvez sua casa tenha uma bela varanda. Talvez você goste de escalar montanhas; talvez, de voar. Pode ser que, para você, o último andar seja a Casa Celestial, de onde Cecília Meireles vê o mar e nossa admiração por ela. Pode ser que o último andar represente os vôos poéticos que Cecília nos possibilita, oferecendo a chance de vermos o mundo de cima, com os olhos da beleza, graças à poesia.

Um abraço,

Guilherme & Ivanilda

2 comentários:

Agatha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Agatha disse...

Nossa
quando acabou a poesia da Cecília me deparei com outra
essa reflexão eu já havia tido mas a forma de escrever foi maravilhosa
xoxo,
Ágatha Leite
(Último andar)