quarta-feira, 5 de novembro de 2008

"Marcha" & "Canteiros"

Olá, turma!

Um artista brasileiro que tem uma relação especial com Cecília Meireles é o cantor e compositor Raimundo Fagner: ao longo de sua carreira, ele já musicou vários poemas de nossa mestra.

Um de seus trabalhos mais bem sucedidos dessa parceria é a canção “Canteiros”, gravada por Fagner em 1973, em seu LP de estréia.

Vamos conhecer o bonito poema de Cecília que inspirou essa obra:

Marcha

As ordens da madrugada
romperam por sobre os montes:
nosso caminho se alarga
sem campos verdes nem fontes.
Apenas o sol redondo
e alguma esmola de vento
quebraram as formas do sono
com a idéia do movimento.

Vamos a passo e de longe;
entre nós dois anda o mundo,
com alguns vivos pela tona,
com alguns mortos pelo fundo.
As aves trazem mentiras
de países sem sofrimento.
Por mais que alargue as pupilas,
mais minha dúvida aumento.

Também não pretendo nada
senão ir andando à toa,
como um número que se arma
e em seguida se esboroa,
-- e cair no mesmo poço
de inércia e de esquecimento,
onde o fim do tempo soma
pedras, águas, pensamento.

Gosto da minha palavra
pelo sabor que lhe deste:
mesmo quando é linda, amarga
como qualquer fruto agreste.
Mesmo assim amarga,
é tudo que tenho,
entre o sol e o vento:
meu vestido, minha música,
meu sonho, meu alimento.

Quando penso no teu rosto,
fecho os olhos de saudades;
tenho visto muita coisa,
menos a felicidade.
Soltam-se os meus dedos tristes,
dos sonhos claros que invento.
Nem aquilo que imagino
já me dá contentamento.

Como tudo sempre acaba,
oxalá seja bem cedo!
A esperança que falava
tem lábios brancos de medo.
O horizonte corta a vida
isento de tudo, isento...
Não há lagrima nem grito:
apenas consetimento.

Agora, vamos ouvir a composição de Fagner, através desse vídeo do You Tube:



Uma curiosidade: quando Fagner alcançou grande sucesso com sua canção “Canteiros”, as herdeiras de Cecília o processaram na Justiça, alegando que ele havia plagiado o poema “Marcha”. Hoje em dia, a situação está resolvida, e “Canteiros” ainda é parte do repertório de Fagner e sucesso certo em seus shows. Na verdade, nunca houve exatamente o plágio. O cantor pernambucano apenas usou um recurso adotado por muitos artistas, que é o de prestar homenagem a seus ídolos, com o uso de trechos de suas obras.

Por falar nisso, quem ouviu "Canteiros" com atenção deve ter percebido que Fagner, no final da canção, presta homenagem a outro grande mestre de nossa cultura, o inesquecível Tom Jobim, através de versos da canção "Águas de Março".

Para saber mais sobre essa história, acesse esse link, do site oficial de Fagner: http://www.itarget.com.br/clients/raimundofagner.com.br/cecilia_meireles.htm

Um abraço,

Guilherme & Ivanilda

Um comentário:

Agatha disse...

nossa
a cada dia q eu leio esse blog fico mais impessionada
minha mãe adora o Seu Fagner
e assim q ouvi a música tratei de enviar o clip para o e-mail dela
e escutei a música 6 vezes de tão bonita que achei
voces, profesores pensam em tudo
adorei isso
abraços
Ágatha